fbpx
Óticas Precisão

Dificuldade na alfabetização pode estar relacionada a problema de visão

  • by: Redação Óticas Precisão
  • setembro 18, 2020

Você é mãe ou pai de uma criança em fase de alfabetização? Então, é importante prestar atenção à saúde visual do seu pequeno. Sabia que algumas dificuldades para enxergar podem comprometer e muito o aprendizado dele? Comece a reparar em alguns sinais: a falta de interesse da criança nos estudos pode estar bastante relacionada à dificuldade de visão. Inclusive, existem pesquisas que mostram que há muitos casos de evasão escolar que se dão por conta desse problema.

Às vezes, pais e professores batem cabeça para descobrir quais fatores estão levando a criança ao problema de aprendizagem e não percebem que o pequeno está sofrendo por enxergar mal.

Então, é bom ficar de olho em alguns comportamentos dos filhos que podem sinalizar déficits visuais:

– Na escola, o aluno levanta muitas vezes para chegar perto quadro, acaba conversando mais com os amigos para pedir ajuda, fica mais agitado justamente por não conseguir acompanhar as atividades;

– Esse comportamento de se aproximar demais dos objetos também acontece em casa, quando a criança “cola” o rostinho na televisão ou no computador;

– Reparou seu filho fazendo careta, franzindo a testa ou apertando os olhos para enxergar melhor? Dê atenção para isso!

– Existem casos em que a criança vira o rosto e mira o canto dos olhos, para tentar minimizar a distorção da imagem. Pode se tratar de astigmatismo;

– A criança costuma ler com muita lentidão e não compreende muito bem o que está lendo;

– Esfrega ou pisca os olhos com muita frequência;

– Costuma esbarrar muito nos objetos, cair, apresentar tonturas e dores de cabeça.

É nessa fase da vida que as crianças recebem muito estímulo visual, então é quando precisam muito dos olhinhos funcionando bem para se desenvolverem com qualidade. E não é porque estamos em um momento de pandemia, com aulas online em casa, que esse problema deixa de existir, pelo contrário, o excesso de exposição aos aparelhos eletrônicos também pode acentuar os problemas de visão.

O que fazer quando identificar um problema assim?

A recomendação é sempre procurar um especialista. É o oftalmologista quem pode avaliar o caso da criança e identificar o que está causando a dificuldade. Mais do que analisar a acuidade visual, que é a capacidade de distinguir os detalhes, o médico também avalia a fixação, os movimentos oculares, acomodação, convergência, binocularidade, coordenação olho/mão e processamento da informação visual.

Especialistas recomendam uma visita ao oftalmologista desde muito cedo e com frequência. A Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica orienta: acompanhamento oftalmológico deve ser semestral até os 2 anos. A partir dessa idade, as consultas devem ser anuais até os 10 anos.

Felizmente, o setor óptico evolui constantemente e oferece cada vez mais tecnologias para permitir a correção de problemas oftalmológicos, focando em óculos mais seguros e eficientes para o público infantil, despistando o bullying típico da infância e garantindo uma ótima visão com diversão e conforto para as crianças.

Por que estar atento desde tão cedo?

Muitas dificuldades visuais podem ser corrigidas facilmente, mas algumas podem ser carregadas para o resto da vida. Já ouviu falar na “ambliopia”? É a conhecida “baixa visão”, que não é corrigida com óculos. Isso porque o problema não está especificamente no olho, mas sim na região cerebral que corresponde à visão e que pode não ter sido devidamente estimulada no momento certo.

Por isso, uma triagem oftalmológica é tão importante desde os primeiros momentos da vida.

Leave a comment